Notícias

Planejamento empresarial: o que é, como fazer o seu e dicas para colocar em prática

Seja a sua empresa pequena ou grande, o planejamento empresarial deve ser feito.

Muitas pessoas que estão pensando em começar a empreender ouvem sobre a importância do planejamento financeiro empresarial, mas pouco sabem o que isso significa e muito menos como colocar em prática.

Empresas que desenvolvem e executam um bom planejamento financeiro empresarial têm a segurança de que agirão de forma estratégica, com objetivos claros e métricas de acompanhamento eficientes.

Essas características são fundamentais para melhorar a saúde financeira de um negócio, independente do seu tamanho. Essa ferramenta funciona como uma espécie de base, alicerce.

O que é planejamento financeiro empresarial?

O planejamento financeiro empresarial é uma espécie de "norte" que a empresa deverá seguir para cumprir os objetivos estabelecidos ao iniciar um ano, semestre ou trimestre, por exemplo.

É elaborado em forma de um documento, que inclui os objetivos, ações necessárias para alcançá-los e possíveis percalços que deverão ser superados no caminho.

É importante ter em mente que o planejamento é uma projeção, ou seja, quando criado, trabalha com previsões de onde a empresa irá chegar — em termos financeiros — e o que é preciso para alcançar esse resultado.

Qual é a importância do planejamento financeiro empresarial?

Com essa ferramenta, o time é capaz de estimar métricas importantes para a saúde financeira de um negócio, como margem de lucro e fluxo de caixa futuros. E não é somente isso! Veja os principais benefícios de executar um bom planejamento financeiro empresarial:

Tomada de decisões mais embasadas

Quando as decisões são tomadas com base no planejamento, toda a empresa tem noção clara dos motivos pelos quais está realizando as ações, conseguindo visualizar o benefício de cada uma delas no futuro.

Esse processo torna as decisões mais estratégicas, que norteiam cada ação, como expansão, corte de gastos, contratação e investimento em inovação

Melhora ou manutenção da saúde financeira

Como já apontamos, esse é um dos benefícios centrais de executar o planejamento financeiro. Com a ferramenta, a empresa é capaz de construir um fundamento sólido.

Essa base aumenta a estabilidade financeira e dá ao time a possibilidade de prever gastos e percalços que podem comprometer o orçamento disponível para manter o negócio funcionando com saúde.

Possibilidade de otimizar os recursos financeiros

No momento do planejamento, a equipe levará em consideração os melhores destinos para alocar recursos financeiros.

Além de evitar possíveis desperdícios ou "queima de capital" em áreas que não fazem sentido ou não dariam retorno, encontram-se áreas para expandir e maximizar os lucros do negócio, muitas vezes não identificáveis sem o devido planejamento.

Redução de dívidas e antecipação de problemas financeiros

O planejamento leva em consideração os principais empecilhos e percalços financeiros que uma empresa pode vivenciar nos próximos meses ou anos.

Além de levantar a possibilidade, apresenta planos de ação, que podem envolver a diminuição nos gastos ou renegociação de dívidas.

Outro exemplo é a possibilidade de segurar a expansão de alguma área que recebia altos investimentos financeiros, para evitar futuros problemas com a falta de caixa disponível.

Como fazer um planejamento financeiro empresarial?

Um bom planejamento deve ser feito com organização e noção plena da situação atual da empresa. Sem essa compreensão, torna-se mais difícil traçar os planos de ação necessários e fazer o alocamento de recursos para que os objetivos sejam cumpridos.

A principal forma de fazer um planejamento financeiro empresarial é pela divisão por fases.

Quais as fases do planejamento financeiro empresarial?

Geralmente, o planejamento financeiro tem entre cinco e sete principais fases, do planejamento até a execução — e posterior análise dos resultados. Vale lembrar que esse escopo pode variar, a depender do tamanho da empresa, modelo de negócio e objetivos centrais.

Na medida em que o time amadurece o conhecimento sobre a criação de um planejamento financeiro empresarial, essas fases vão se tornando naturais e até mesmo se encontrando no meio do caminho. Por isso, caso você já execute um planejamento na sua empresa e não reconheça exatamente cada uma dessas fases, não é um problema!

  • Análise da situação da empresa: a primeira fase é a realização de um diagnóstico geral sobre a saúde financeira da empresa no momento atual. Envolve a análise dos balanços e demonstrativos de resultados, fluxo de caixa, contas a pagar e receber, entre outros;
  • Estabelecimento de objetivos: com a compreensão atual da situação da empresa, é a hora de traçar os objetivos para o período — que pode ser a curto, médio ou longo prazo. Os objetivos podem ser aumento na receita, melhora no lucro, redução das dívidas ou começar a dar lucro (caso a empresa ainda esteja em prejuízo, por exemplo);
  • Identificação dos recursos disponíveis: o que é necessário para atingir esses objetivos? Podem ser investimentos, empréstimos, aumento de pessoal, aquisição de outras empresas, por exemplo;
  • Desenvolvimento das estratégias: sabendo o que, é hora de definir o como. Pense em como a empresa irá usar esses recursos de forma estratégica, para que os objetivos sejam alcançados, defina prazos, métodos de acompanhamento e pessoas responsáveis por cada parte do processo;
  • Elaboração do orçamento: todas as análises feitas até então serão centralizadas em um orçamento, que deverá detalhar as ações necessárias para atingir os objetivos traçados. Por exemplo: precisamos de X reais de empréstimos, que serão usados para Y, como estratégia para melhorar o objetivo;
  • Implementação do plano: com o planejamento criado e pronto para a execução, é hora de implementar, envolvendo todas as pessoas necessárias e fazendo a gestão dos recursos disponíveis;
  • Monitoramento e revisão: na medida em que o período está passando — ao longo de um ano, por exemplo — é importante rever o planejamento e entender se é possível seguir com o que foi idealizado. Sabemos que existem fatores difíceis de prever de antemão, então a equipe deve ser ágil em identificar qualquer tipo de problema para garantir que o andamento segue próximo ao planejado.

Como aplicar o planejamento financeiro empresarial?

Sabendo da importância de desenvolver um planejamento e quais são as fases necessárias para que ele aconteça, é a hora de colocá-lo em prática. Veja algumas dicas para a aplicação:

Defina as métricas para analisar

Para avaliar um planejamento e entender se está sendo eficiente, é fundamental estabelecer métricas de acompanhamento.

Assim, garante-se que as análises serão embasadas em dados e números, fugindo da subjetividade que análises qualitativas podem ter. Considere métricas como:

  • Fluxo de caixa;
  • Receitas, divididas pela fonte de cada uma;
  • Despesas operacionais;
  • Lucro líquido;
  • Margem de lucro;
  • Prazo médio de pagamento e prazo médio de recebimento;
  • Liquidez, endividamento, rentabilidade e eficiência operacional.

Reduza despesas desnecessárias

Categorizar as despesas por área pode ser importante para que a empresa identifique locais em que há uma alocação financeira maior do que o necessário. Nesses casos, é importante agir rapidamente, reduzindo as despesas (cortando custos ou realocando para áreas que precisam de maior investimento).

Considere os riscos

Já que estamos falando de um planejamento, não podemos nos esquecer dos fatores de risco ainda não presentes, mas que podem acontecer no futuro. Vale considerar a volatilidade do mercado, previsão geral de crescimento, flutuações cambiais ou fatores socioeconômicos.

Levante novas possibilidades de inovação e crescimento

Além de gerir os recursos atuais da empresa, considere novas fontes de expansão. É importante alocar recursos na identificação de novos produtos, mercados ou serviços, ou ainda na melhora de algum serviço executado atualmente pela empresa.

voltar

Links Úteis

Indicadores diários

Compra Venda
Dólar Americano/Real Brasileiro 5.1031 5.1056
Euro/Real Brasileiro 5.5439 5.5519
Atualizado em: 17/05/2024 17:59

Indicadores de inflação

02/2024 03/2023 04/2024
IGP-DI -0,41% -0,30% 0,72%
IGP-M -0,52% -0,47% 0,31%
INCC-DI 0,13% 0,28% 0,52%
INPC (IBGE) 0,81% 0,19% 0,37%
IPC (FIPE) 0,46% 0,26% 0,33%
IPC (FGV) 0,55% 0,10% 0,42%
IPCA (IBGE) 0,83% 0,16% 0,38%
IPCA-E (IBGE) 0,78% 0,36% 0,21%
IVAR (FGV) 1,79% 1,06% 1,40%